Home »
01 ABR 2018
28
Por Jornal Abarca

Cada número tem os seus significados.

Desde logo as datas que individual ou socialmente se assinalam.

O número 28 é para mim especial, talvez porque também é o dia do meu nascimento. Contém o algarismo do par e o do infinito. Tenho-lhe apreço.

Com 28 anos, estava, considero, em pleno, tinha a minha filha, razão principal da minha existência, a minha vida familiar estável, e nestas questões, geralmente, o “normal” é bom, e profissionalmente já fazia o que hoje sou, ou seja, basicamente já me pagavam para eu fazer aquilo de que gosto. Estava perfeitamente realizada.

28, grande número, mais do que um quarto de século… em Matemática, o segundo número perfeito. Um número perfeito é um número inteiro para o qual a soma de todos os seus divisores (excluindo ele mesmo) é igual ao próprio número (28=1+2+4+7+14). Fácil de fixar, pois o primeiro deles tem apenas um algarismo (6), o 3º tem três (496) e assim sucessivamente…

A numerologia é um ramo das ciências metafísicas que por meio de cálculos averigua o número que corresponde a cada indivíduo, esse número, por exemplo, o do nascimento, é entendido como um agente simbólico de energia que conecta e liga pela Lei Universal, possibilitando, assim, a compreensão de uma personalidade ou de uma atitude específica em função do tal número/símbolo, ou seja, atribui o significado aos números.

Ora vejamos exemplos. Começa por escrever a data de nascimento. Há dois processos. Ou soma cada um dos algarismos e sempre que obtém o 9 anula-o (por exemplo 1/02/1990=4+0+0=4), ou soma todos e vai decompondo até obter um algarismo entre 1 e 9 (1/02/1990=1+2+1+9+9=22-9=13-9=4). Quer utilize um ou outro processo, o resultado é sempre o mesmo, isto é, a pessoa nascida naquela data tem como número o 4. Comprovemos com outro exemplo: 28/12/1971 será, pelo primeiro processo, 2+2+1+8=5+8 (-9) =4, ou pelo segundo 31-9=22-9=13-9=4.

Segundo a cabalística, a data do nascimento diz muito de nós e é muito importante, pois as suas vibrações transmitem características à personalidade da pessoa (motivações, atitudes) representando, assim, uma força que permite determinar e entender, quer as metas atingidas, quer a forma como se resolvem os problemas, quer igualmente os relacionamentos sociais e profissionais.

Pois, eu também sempre fui muito cética e como São Tomé, “ver para crer”, mas…, parafraseando, factos são factos.

Confesso que só quando soube que um dos poetas que admiro e reputo de extremamente inteligente era dado à cabalística (Pessoa) é que me interessei pelo assunto, ainda assim com muitas reservas e sob o prisma da satisfação da curiosidade.

Segundo o Dicionário de Símbolos de Jean Chevalier, os números “expressam não somente quantidades, mas também ideias e forças”. Sendo a interpretação dos números uma das ciências simbólicas mais antigas, considerada por Platão como “o grau mais elevado de conhecimento e a essência da harmonia cósmica e interior.”

R. Allendy em Le Symbolisme des Nombres diz-nos que o 28 se encontra entre os números triangulares – 6, 10, 15, 21, 28, 36… A explicação: o 3 obtém-se adicionando 1+2; o 6 adicionando 1+2+3; o 10 adicionando 1+2+3+4 e assim sucessivamente toda a série. O 28 tem como divisores: 14, 7, 4, 2, 1 dos quais a soma é 28.

As datas assinalam frequentemente ciclos, aniversários. Esta publicação comemora agora, à semelhança do jornal nacional Público que muito aprecio, os seus 28 anos. Já navegou por mares revoltos, outros de calmaria, já foi jornal com periodicidades diferentes, presentemente é revista mensal. Contudo, prima sempre por uma mesma corrente: a liberdade. Isto não é tudo o que se pode e deve dizer desta barca, mas atualmente, poder dizê-lo já não é pouco. E, apesar de viajar há poucos anos neste pulcro batel, vesti-lhe a camisola. Orço o balanço, meu e dele, como extremamente positivo e enriquecedor. Tenho uma palavra de apreço pelos que nela navegam, fazedores do bem comum, quer tenha com eles uma maior ou menor afinidade, e parabenizo a sua barqueira que ao leme de águas intrépidas, num país que quase não lê, consegue dobrar sistematicamente os cabos tormentórios e continuar a saga navegando até porto seguro.

Resta-me felicitar esta equipa ímpar na navegação e a sua capitã neste mar revolto.

(0) Comentários
Escrever um Comentário
Nome (*)

Email (*) (não será divulgado)

Website

Comentário

Verificação
Autorizo que este comentário seja publicado



Comentários

PUB
crónicas remando
PUB
CONSULTAS ONLINE
Interessa-se pela política local?
 81%     Sim
 19%     Não
( 187 respostas )
© 2011 Jornal Abarca , todos os direitos reservados | Mapa do site | Quem Somos | Estatuto Editorial | Editora | Ficha Técnica | Desenvolvimento e Design