Os presidentes das câmaras municipais de Abrantes, Castelo Branco e Guarda defenderam a revisão dos preços de portagens na Auto-estrada da Beira Interior, durante a apresentação do VII Festival de Música da Beira Interior, promovido em parceria com a Scutvias, concessionária da A23.
Para Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara de Abrantes, os valores das taxas de portagens inibem o uso desta via que devia servir para a coesão da região e para a criação de condições de competitividade. A introdução de portagens teve um efeito contrário.
Segundo dados da Scutvias, a A23 tinha um tráfego média diário anual (TMDA) de 11 mil veículos até 2008, caindo depois para 9000 e ronda actualmente os 5000 depois de introduzidas as portagens. A maior queda regista-se na circulação de veículos pesados de transporte internacional de mercadorias na A23 que, no primeiro semestre de 2008, o tráfego média diário anual era de 1800 e hoje é de cerca de 800.

PUB
crónicas remando
PUB
CONSULTAS ONLINE
Interessa-se pela política local?
 81%     Sim
 19%     Não
( 200 respostas )
© 2011 Jornal Abarca , todos os direitos reservados | Mapa do site | Quem Somos | Estatuto Editorial | Editora | Ficha Técnica | Desenvolvimento e Design