Home »
21 ABR 2011
AS FESTAS ONDE A FÉ É UMA FESTA
Por RICARDO ALVES

 

As ‘Festas de Nossa Senhora da Boa Viagem 2011’ chegam novamente para celebrar a devoção à Mãe de Deus, a protectora dos marítimos. Uma devoção que nasceu dos perigos da navegação do Tejo, na altura com muito tráfego de mercadorias, desde o porto fluvial da vila até Lisboa

 

Hoje a tradição ainda é o que era com as cerimónias e tradições religiosas preservadas e com a romaria de populares para as tasquinhas e espectáculos da grande festa anual. Este ano a festa acontece também no dia 25 de Abril, data que marca a revolução dos cravos, aumentando o grau de simbolismo. Para além das seculares manifestações religiosas (Missa Solene, Procissão e Bênção dos Barcos e das Viaturas), das iniciativas culturais (Mostra de Artesanato, Mostra dos Doces e Sabores), do desporto (Grande Prémio da Páscoa em Atletismo), Descida dos 3 Castelos, canoagem) e demais espectáculos musicais e exposições, as Festas 2011 ainda acolhem no seu percurso o dia da libertação da ditadura, a celebração dos 37 anos do ’25 de Abril’. 

Manifestações Religiosas

As celebrações religiosas começaram no dia 15 de Abril, com a ‘Via-Sacra’ desde o Pelourinho até à Igreja Matriz. O culminar da celebração religiosa, apesar de outros eventos no meio deste período, encerram com a tradicional e muito simbólica Procissão em Louvor de Nossa Senhora da Boa Viagem e a Bênção dos barcos nos rios Tejo e Zêzere e das viaturas na Praça Alexandre Herculano. 
Aquando da passagem do tempo dos marítimos e do transporte fluvial, a festa entrou numa fase de declínio e só não desapareceu porque a paróquia decidiu assumir a sua organização. Os festeiros que até então asseguravam a organização mas as raízes profundas da devoção não deixaram o evento cair por terra.
A base das festas de Constância, como o próprio nome indica, são religiosas, mas nos últimos 20 anos, com a passagem à intervenção da Câmara Municipal, tornaram-se muito mais que isso.
Apesar de tentarem recuperar o fulgor de outros tempos, das romarias de todo o país, as festas são hoje um evento de grande diversidade e o público mais jovem acaba por ter o seu espaço cada vez mais alargado nas celebrações. 

Manuel João Vieira na JICA

2011 marca as festas pela criação de um terceiro palco, o ‘Palco do Rio’, uma mudança de figurino que pode significar um estímulo positivo para as associações e clubes do concelho. A associação jovem de Montalvo, a JICA (Jovens Inovadores com Atitude), ficará com a gestão desse novo palco, montado nos campos de ténis na zona baixa da vila. Nuno Cristovão, presidente da JICA, expressou a sua satisfação pela oportunidade. “Surgiu pela necessidade importante de revitalizar as festas de Constância, e pela ambição da JICA em ser melhor”. Ambição essa que não é de agora, “já de há alguns anos”, da associação que surgiu em 2004, o mesmo ano da primeira participação nas festas. 
Durante todos estes anos a JICA teve a sua tasquinha no lado oposto da localização dos campos de ténis, na extremidade perto da Casa Camões, com grande dinamização e casa sempre cheia, fruto da colaboração de dezenas de pessoas. “Teremos 35 pessoas a trabalhar este ano”, num espaço que segundo Cristovão “era o único espaço disponível na zona baixa da vila com condições para realizar o nosso projecto em termos de higiene, segurança e área”. As novas instalações permitirão não só a organização de uma agenda de concertos e actuação de artistas própria como a instalação de uma tenda. “A nossa intenção é dinamizar as tardes, para a geração mais jovem. A festa não tinha nada e a tenda servirá também para manter as noites com a qualidade habitual”. Presente estará Manuel João Vieira, o ‘candidato a candidato’ à presidência da república, e músico de bandas como os ‘Ena Pá 2000’, ‘Corações de Atum’ ou ‘Irmãos Catita’. Chega a Constância com ‘Os Fados do Lello Perdido’, num espectáculo que promete fado, comédia e o carisma do eloquente artista.
O presidente da JICA diz ainda que “a Câmara Municipal reconheceu-nos capacidade” e que “este ano e no próximo”, para já, a JICA estará na festa com o recinto dos campos de ténis. “Vamos oferecer o que muita gente reivindicava há muitos anos: Animação, alegria e socialização”. A festa promete.

QCCisne com actividade radical 

A associação ‘Quatro Cantos do Cisne’ terá igualmente o seu espaço na festa, numa outra perspectiva de diversão. A associação disponibilizará aos interessados uma parede de escalada, a funcionar das 15.30 às 20.00 horas e a possibilidade de os visitantes fazerem pinturas faciais e moldagem de balões, algo que deverá chamar miúdos e graúdos ao seu espaço. 
Há fé, há festa, há muito mais no programa (leia-o no nosso roteiro) para o visitante ver, ouvir, saborear, sentir. As ‘Festas de Nossa Senhora da Boa Viagem’ são um do pontos altos do ano, altura de mostrar o muito de bom que o concelho tem e nele se faz. Este ano há novidades, que mesmo que sejam poucas são um acréscimo de expectativa, um sentimento de que é possível voltar ao futuro com o passado recente das festas imensas. Há um ‘Lello Perdido’ que por cá se veio perder. Quem se perde pelas festas da fé em Constância, nos dias 23, 24 e 25, aí deseja ficar desaparecido.

(0) Comentários
Escrever um Comentário
Nome (*)

Email (*) (não será divulgado)

Website

Comentário

Verificação
Autorizo que este comentário seja publicado



Comentários

PUB
crónicas remando
PUB
CONSULTAS ONLINE
Interessa-se pela política local?
 81%     Sim
 19%     Não
( 201 respostas )
© 2011 Jornal Abarca , todos os direitos reservados | Mapa do site | Quem Somos | Estatuto Editorial | Editora | Ficha Técnica | Desenvolvimento e Design