Home »
30 MAR 2021
ALCANENA | Faleceu Maria da Conceição Moita, resistente anti-fascista
Por Jornal Abarca
Maria da Conceição Moita ao ser libertada da Prisão de Caxias a 26.04.1974 (Foto: Gabriel Feitor)
Maria da Conceição Moita ao ser libertada da Prisão de Caxias a 26.04.1974 (Foto: Gabriel Feitor)

Faleceu durante a última madrugada a alcanenense Maria da Conceição Moita, figura muito respeitada na vila, de causas naturais. Partiu aos 83 anos, a poucos dias de completar mais um aniversário, que celebraria a 05 de Abril.

Maria da Conceição Moita destacou-se pelo combate ao fascismo em Portugal. Gabriel de Oliveira Feitor, historiador natural de Alcanena, destaca o papel da mulher na “luta pela liberdade, pela paz, pelo fim da guerra colonial”, lembrando a participação da alcanenense na famosa vigília na Capela do Rato, em 1972.

A sua acção política ditaria a prisão às mãos da PIDE em 1973. “Despiram-me toda, viram se não tinha objetos escondidos. Era de noite, hora de jantar. Fiquei logo na sala onde fui amplamente torturada durante muito tempo. Tive treze dias sem dormir. Obrigaram-me a ficar em pé nos últimos tempos. Foi muito violenta a tortura, sobretudo a do sono. (…) Era espantoso: chamavam os médicos e as enfermeiras para nos tratarem para poderem continuar a torturar-nos!”, escreveu. Acabaria por sair da prisão de Caxias a 26 de Abril de 1974 após a revolução.

À família enlutada o Jornal Abarca presta as sentidas condolências.

(0) Comentários
Escrever um Comentário
Nome (*)

Email (*) (não será divulgado)

Website

Comentário

Verificação
Autorizo que este comentário seja publicado



Comentários

PUB
crónicas remando
PUB
CONSULTAS ONLINE
Interessa-se pela política local?
 76%     Sim
 24%     Não
( 266 respostas )
© 2011 Jornal Abarca , todos os direitos reservados | Mapa do site | Quem Somos | Estatuto Editorial | Editora | Ficha Técnica | Desenvolvimento e Design