Home »
23 SET 2021
OPINIÃO | "Mulheres Invisíveis", por Susana Guerreiro
Por Jornal Abarca

Vinte anos depois, os Talibãs voltam ao poder no Afeganistão.

Regressa por isso o medo. E o maior crime é contra as mulheres.

Para que seja compreensível a todos, transcrevo aqui resumidamente a lista de proibições divulgada há dias pelo Nuno Markl.

  1. Proibição do trabalho feminino fora de casa. Apenas algumas mulheres médicas e enfermeiras estão autorizadas a fazê-lo.
  2. Só podem sair de casa, se acompanhadas pelo pai, marido ou irmão.
  3. Proibição de serem tratadas por médicos homens.
  4. Proibição de estudarem em escolas e universidades.
  5. Obrigatoriedade no uso de burka.
  6. Açoites e espancamentos para quem não se cubra da cabeça aos pés ou para quem seja vista na rua sem ser acompanhada pelo pai, marido ou irmão.
  7. Proibição de rir em voz alta. Nenhum estranho deve ouvir a voz de uma mulher.
  8. Proibição de entrar num táxi sem se fazer acompanhar pelo seu pai, marido ou irmão.
  9. Proibição de aparecerem nos media ou em quaisquer reuniões públicas.
  10. Proibição de praticar desporto.
  11. Proibição de andar de bicicleta ou mota.
  12. Proibição de usar cores vistosas, por alegadamente serem sexualmente atractivas.
  13. Proibição de se reunirem para celebrações, festividades. Não se podem divertir.
  14. Açoites na praça pública para quem não cubra os tornozelos.
  15. Apedrejamento público contra as mulheres acusadas de relacionamentos extra-conjugais.
  16.  Proibição do uso de maquilhagem. Há registo de mulheres a quem amputaram os dedos por terem as unhas pintadas.
  17. Proibição de falar ou estender a mão a homens que não sejam o seu pai, marido ou irmão.
  18. Proibição de lavarem a roupa em rios ou praças públicas.
  19. Alteracão do nome das ruas que incluam a palavra “mulher”.
  20. Proibição de assomarem às janelas de suas casas.
  21. É obrigatório que os vidros das janelas sejam opacos, para que as mulheres não possam ser vistas da rua.
  22. Proibição dos alfaiates tirarem medidas às mulheres.
  23. Proibição de entrarem em casas de banho públicas.
  24. Há autocarros “só para homens” e autocarros “só para mulheres”.
  25. Proibição de usar calças, ainda que por baixo da burka.
  26. Proibição de fotografar ou filmar mulheres. Não existem.
  27. Proibição de publicar imagens de mulheres em revistas e livros. É também proibida a afixação de imagens de mulheres nas paredes de casa.

Obrigada, Nuno.

Sem esta tradução muitos de nós continuaria pouco esclarecido para reagir e revoltar-se com fundamento.

Eu, como mulher, posso fazer muito pouco. Mas como cidadã portuguesa, junto-me ao apelo feito ao Governo pela Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres para que seja concedido asilo político a todas as mulheres afegãs e filhos menores que queiram refugiar-se em Portugal.

É o mínimo...

(0) Comentários
Escrever um Comentário
Nome (*)

Email (*) (não será divulgado)

Website

Comentário

Verificação
Autorizo que este comentário seja publicado



Comentários

PUB
crónicas remando
PUB
CONSULTAS ONLINE
Interessa-se pela política local?
 73%     Sim
 27%     Não
( 350 respostas )
© 2011 Jornal Abarca , todos os direitos reservados | Mapa do site | Quem Somos | Estatuto Editorial | Editora | Ficha Técnica | Desenvolvimento e Design